Últimas Notícias
Agricultura
Brasil
Brasileirão
Colunistas
Copa Do Mundo
Cultura E Lazer
Economia
Eleições
Esportes
Expediente
Geral
Internacional
Maringá
Noite / Festas
Notícia Regional
Pan Rio2007
Paraná
Paranaense
Pequim 2008
Política
Saúde E Ciência
Tecnologia
Loterias
Página Principal
.:: P U B L I C I D A D E ::.
 
 
 
 
 
 
 
Economia
25/03/2015

Rússia suspende importação de carnes de oito frigoríficos brasileiros


A Rússia restringiu temporariamente as importações de carne suína e bovina de pelo menos oito empresas brasileiras, de acordo com informações do Rosselkhoznadzor, o Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária do país. Entre as empresas atingidas estão BRF e JBS, que sofreram restrições em relação às vendas de carne e miúdos de porco. Dois frigoríficos do Paraná também foram suspensos. As determinações do órgão russo começaram a valer na última sexta-feira (20). A BRF está impedida de exportar para o país a partir da unidade em Uberlândia (MG). A companhia disse que a decisão do governo russo não afeta a estratégia comercial da empresa porque ela já havia decidido interromper as vendas de carne suína a partir da unidade de Minas Gerais. “A informação do serviço sanitário russo está em linha com esta decisão da empresa”, informou. A JBS está impedida de exportar carne suína e miúdos a partir da unidade em Ana Rech (RS). No final de fevereiro o governo russo já havia decidido coletar amostras de lotes de carne bovina produzida nas fábricas da JBS em Lins (SP) e em Mozarlândia (GO). Os testes também foram reforçados em relação aos miúdos bovinos produzidos pelo frigorífico da JBS em Vilhena (RO). As restrições em relação ao comércio de carne e miúdos suínos com a Rússia também atingiram o Frigorizzi (unidade no Rio Grande do Sul), o Natural Pork Alimentos (em Mato Grosso) e o Palmali Industrial (no Paraná). Já o Mondelli (em São Paulo) e o Big Boi (no Paraná) tiveram exportações de carne bovina restringidas. Por sua vez, o Frig Industrial (em Santa Catarina) teve as vendas de intestinos barradas pela Rússia, em decisão que também afetou o Big Boi e o Natural Pork Alimentos. O Ministério da Agricultura, Peucária e Abastecimento (Mapa) informou que os frigoríficos suspensos não vendiam carne aos russos. Apesar de terem sido desabilitados para a exportação, eles podem voltar a lista de autorizados caso atendam os critérios exigidos. Em abril, o Mapa enviará uma missão à Rússia e à China para negociar a ampliação da lista de habilitados a exportação para os países asiáticos. As empresas interessadas nesses mercados foram convidadas a participar da viagem e das negociações. Sob inspeção Desde fevereiro, as exportações de carne bovina da Minerva e de miúdos bovinos do Frigol também estão sob fiscalização mais rigorosa pela Rússia. O serviço de vigilância sanitária tem coletado amostras para análise de cada embarque, mas as vendas externas das empresas não foram interrompidas.


  ÚLTIMAS NOTÍCIAS